Padrão de Conformação ADBA

Devido ao uso impróprio do padrão de conformação do American Pit Bull Terrier da AMERICAN DOG BREEDERS ASSOCIATION INC. ADBA, sendo usado como um identificador de raça em decretos e propostas de lei, uma cláusula de uso do padrão da raça será agora uma parte do nosso padrão de conformação do American Pit Bull Terrier.

O Padrão de conformação APBT ADBA agora inclui um ideal de peso condicionado dos cães que deve ser entre 30lbs (13,600kg) e 75lbs (34,020kg).

I. Introdução

A. Para compreender verdadeiramente qualquer padrão de raça, deve-se conhecer a história por trás da existência dessa raça.

B. A finalidade de um juiz é a seleção imparcial da qualidade do plantel com o verdadeiro tipo da raça.

C. A responsabilidade de julgar, é pontuar os cães que estão em melhor conformidade com o padrão de conformação, deixando de lado preconceitos pessoais.

II. Aparência geral 20 pontos

A. Tipicidade da raça.

  1. Deve parecer como um American Pit Bull Terrier que entra no ringue.
  2. Resistente, tridimensional. Dando a impressão de força, não de leveza ou fragilidade.
  3. Parece quadrado, com ossos densos, frente sólida e com uma traseira leve e elástica.
  4. Deve parecer atlético, não volumoso. Musculatura deve ser suave, mas definido.
  5. A apresentação de um cão adulto deve ser de um animal leve, exercitado mostrando uma pitada de costela e espinha dorsal (sem quadris a mostra) com músculos firmes e definidos. Pelagem limpa, brilhante, com unhas curtas aparadas. A apresentação de cães na classe filhote deverá ser de filhotes bem nutridos, não mostrando nenhuma costela, coluna vertebral ou quadris. A pelagem deve ser brilhante, com unhas curtas e ajustadas.

B. Equilíbrio

  1. Angulação equilibrada do conjunto dianteiro e traseiro - julgada melhor no trote.
  2. Altura em relação ao peso - o cão mais alto em um determinado peso.
  3. Tamanho da cabeça em proporção ao corpo, com um pescoço longo o suficiente para ter a cabeça aparecendo acima do topo da traseira quando a cabeça estiver numa posição vertical normal.

C. Apresentação

  1. O cão deve estar socializado, mostrando interesse nas coisas ao seu redor.
  2. Embora algum grau de agressividade do cão seja característico da raça, comportamento indisciplinado vai prejudicar a capacidade dos juízes para avaliar com precisão a conformação individual de um cão.

D. Saúde

  1. A vitalidade, o brilho da pelagem, e a nitidez dos olhos dos cães, vão demonstrar a salubridade do animal individualmente.
  2. Cores ou padrões de cores que se sabe estarem geneticamente ligados a problemas de saúde serão considerados uma falta grave.

Faltas graves: padrão de cor merle, albinismo (cão branco com olhos azuis ou rosa, nariz cor de rosa, lábios, nenhum pigmento presente em almofadas, contorno dos olhos, etc).

III. Atitude 10 pontos

A. Confiante e alerta.

B. Interessado nas coisas ao seu redor, no controle do seu espaço, não se mostrando ameaçado por qualquer coisa ao seu redor.

C. Gentil com seus donos.

Faltas: assustados ou tímidos.

IV. Traseira 30 pontos

A. Lombo

  1. Amplo e longo o suficiente para enquadrar o cão. Muito curto pode interferir com a flexibilidade dos cães. Também um lombo muito longo faz com que o cão carregue peso excessivo afetando a agilidade e rapidez.

B. Garupa

  1. Longa e inclinada com largura adequada. Isto pode ser julgado pelo conjunto da cauda, o qual deve ser baixo.
  2. A inclinação ideal da garupa deve ser de 30 graus em relação ao solo.

C. Proporções da perna traseiras

  1. O fêmur deve ser de um comprimento que possibilite a articulação do joelho ficar no 1/3 superior do conjunto traseiro.
  2. A tíbia-fíbula é o maior osso do conjunto traseiro.
  3. O comprimento do metatarso é moderado, com músculos que se ligam igualmente de cada lado do osso de modo que os jarretes deslocam-se paralelamente um ao outro, não desviando para dentro ou para fora. Os ossos metatársicos, jarretes e parte inferior da tíbia devem ser leves, finos e flexíveis.
  4. Angulação traseira - razão entre o comprimento dos ossos e os músculos que se fixam sobre estes ossos, resultando em um joelho dobrado o que leva a um jarrete bem angulado. Isto contribui para a elasticidade natural que é desejada no conjunto traseiro.
  5. A fixação muscular é longa e profunda, além da articulação, o que faz com que os músculos pareçam lisos, mas definidos. (Não protuberantes).

Faltas: garupa curta ou plana, joelho reto, duplo articulado ou jarrete desviado, jarrete de vaca, músculos protuberantes.

V. Frente 20 pontos

A. Caixa Torácica

  1. Profunda e elíptica com um proeminente osso do peito ou esterno. Visto de lado, a parte inferior da caixa torácica deve estar pelo menos em nível com a articulação do cotovelo.
  2. Bem arqueadas no topo, afinando para a parte inferior, estendendo bem de volta para o lombo.

B. Ombros

  1. Mais larga que a caixa torácica na 8a costela. Escápula bem colocada para trás, fazendo um ângulo de 45 graus com o chão, larga e achatada, permitindo uma fixação muscular adequada para uma frente pesada e resistente.
  2. O úmero é inclinado em um ângulo oposto de 45 graus e é longo o suficiente para que o cotovelo venha para a parte inferior da caixa torácica, cotovelos encontrando- se horizontalmente contra o corpo.
  3. Os antebraços são ligeiramente mais longos e sólidos que o úmero, duas vezes a espessura do metatarso do jarrete.

C. Pés

  1. Pequenos e apertados, inseridos no alto dos metacarpos.
  2. Almofadas espessas e bem construídas.
  3. Esporões são naturais nos pés da frente, e não ocorrem naturalmente nos pés traseiros.

Faltas: peito em barril, tórax estreito, ossos finos, cotovelos para fora, metacarpos curtos, pés espalmados, almofadas finas, esporões em patas traseiras.

VI. Cabeça e Pescoço 15 pontos

A. Pescoço

  1. Musculoso à base do crânio
  2. Longo em comprimento

B. Cabeça

  1. Tamanho da cabeça equilibrado em relação ao resto do corpo.
  2. 2/3 da largura dos ombros.
  3. Em forma de cunha quando visto de cima ou de lado, redonda, quando visto de frente.
  4. Bochechas 25% mais largas do que o pescoço na base do crânio.
  5. O comprimento do nariz ao stop deve ser igual ao comprimento do stop para a parte de trás da cabeça.
  6. A ponta do focinho é bem desenvolvida. O preenchimento abaixo dos olhos deve ser maior do que a cabeça, na base das orelhas.
  7. A cabeça deve ser profunda a partir do topo da cabeça para o fundo da mandíbula.
  8. O focinho deve ser reto e quadrado, como uma caixa.
  9. Lábios apertados.
  10. Os dentes, incisivos na frente devem se reunir numa mordedura em tesoura. Os caninos devem ser largos na base e diminuir para o final, os caninos superiores se encaixam firmemente atrás dos caninos inferiores. Eles devem estar sólidos e saudáveis, sem faltar nenhum.
  11. Olhos, pequeno e profundo. Elíptico quando visto de frente, triangular quando visto de lado.
  12. Orelhas- não se deve dar preferência a serem cortadas ou não cortadas, exceto para reforçar a atratividade geral do cão.

Faltas: pescoço curto, bochechas proeminentes, focinho subdesenvolvido, lábios pendentes, caninos ausentes, prognatismo ou retrognatismo na medida em que os caninos não se encaixam bem juntos.

VII. Cauda e Pelagem 5 pontos

A. Pelagem

  1. Pele grossa e solta ao redor do pescoço e no peito, muito bem encaixada em outro lugar, mostrando as pregas verticais ao redor do pescoço e peito, mesmo em um animal bem exercido.
  2. Curto e forte, brilhoso mostrando saúde geral do animal.
  3. Cor ou qualquer combinação de cores, exceto para as cores ou padrões coloridos conhecidos por serem ligados geneticamente a problemas de saúde.

B. Cauda

  1. Grossa na base, afinando para a ponta. Seu comprimento deve se estender até a ponta do jarrete.
  2. Caída para baixo como uma manivela de bomba quando relaxada.

Faltas graves: cor em padrão merle ou albinismo. (Cão branco, olhos azuis ou cor de rosa, falta de pigmento).

Faltas: pelo longo, pelos com franjas na cauda ou em outro lugar, cauda cortada ou qualquer cauda distinta da reta.

Desqualificações: agressão a humanos, cão macho cujo o saco escrotal não nasceu, cães castrados.

Acima de tudo, o American Pit Bull Terrier deve aparecer para ser um atleta como um todo. Seu corpo expressa velocidade, potência, agilidade e resistência. Ele deve ser equilibrado em todas as direções. Uma coisa exagerada rouba-lhe outra. Em sua forma ideal, ele é uma coisa bela.

Qualquer uso não autorizado ou impróprio do padrão American Dog Breeders Association Inc. é estritamente proibido.

Direitos autorais©1976

American Dog Breeders Association Inc. (ADBA). Padrão do APBT. Aviso legal

Este padrão não é um identificador de raça. Ele só pode ser usado para julgar os padrões de qualidade do American Pit Bull Terrier, como adiante definidos. Sua finalidade é para uso de criadores e juízes sancionados da American Dog Breeders Association Inc. ao determinar a qualidade de cada animal sendo julgado em um show sancionado ou evento da American Dog Breeders Association Inc. e para a concessão de pontos individuais ADBSI com base em qualidade, como refletido pelo padrão de excelência da raça. Ele também pode ser usado para avaliar a qualidade do plantel por criadores de American Pit Bull Terriers registrados na ADBA, para a Seleção de reprodutores, e para avaliar a qualidade dos filhotes individuais de ninhadas de American Pit Bull terrier registrados.